1| A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

E

  Significado
EAE Estrutura Artificial de Escalada.
ECA Edema cerebral de altitude. Retenção de líquidos nos tecidos cerebrais. Situação grave do MAM (definição em fase de acabamento).
Ecologia Ramo da biologia que estuda as relações mútuas entre as plantas, animais e o seu ambiente.
Ecossistema Ligação entre os seres vivos e o seu ambiente físico, os quais são inseparáveis e interactuam um sobre o outro.
Edelweiss A mais famosa planta dos Alpes, símbolo romântico do Alpinismo. Encontra-se geralmente nas vertentes escarpadas das montanhosas.
Edlinger, Patrick Nos anos 80, o mítico escalador francês, Patrick Edlinger, foi um dos grandes percursores da escalada desportiva em rocha, para além das impressionantes escaladas em solo integral, pelo qual também ficou conhecido. Possivelmente o escalador mais conhecido em todo o mundo.
EEAM Escola Espanhola de Alta montanha.
El Niño Inversão dos ventos alísios predominantes e das correntes oceânicas que atravessam o pacífico. Este fenómeno ocorre com um intervalo de poucos anos e produz uns efeitos catastróficos na Austrália e em algumas regiões da América do sul.
Elbruz Considerada por muitos como a mais alta montanha do continente Europeu, na cordilheira do Cáucaso, 5642m. (Um dos projectos alpinísticos nos sete continentes).
Emergência Situação de gravidade excepcional que obriga a tomar providências apropriadas.
EN Norma estabelecida dentro do espaço Europeu, que agrupa um determinado número de instituições e organismos nacionais de Normalização.
ENAM Escola Nacional de Alta Montanha (Espanha).
Encadear Escalar uma via à frente ou em top rope, sem cair, sem utilizar qualquer meio artificial para auxiliar a progressão, ou utilizar um qualquer ponto artificial para descansar. Realizar a escalada livre na íntegra numa só tentativa.
Encordamento Acto de o escalador unir a corda de segurança ao arnês através de um nó indicado para tal.O nó de Oito é recomendado pela UIAA como o nó mais seguro para esta função.
ENM Escola Nacional de Montanhismo (definição em fase de acabamento).
ENSA Escola Nacional de Ski e Alpinsimo (do francês, Ecóle Nacional du Ski et Alpinisme).
Ensamble Escalada em simultâneo de dois, ou mais escaladores da cordada. É aplicada quando existe a necessidade de poupar tempo, mas apenas deve ser feito sobre terrenos relativamente fáceis. Os elementos estão unidos entre si pela corda de segurança mas no seu estilo mais "puro" ou seja, não são colocados pontos intermédios de segurança, nem realizadas reuniões com equipamento. Cada escalador leva um troço da corda na mão, e a segurança se necessária é dada com a corda à volta do corpo.
Entalador Tipo de protecção móvel constituída por uma peça (cunha) unida geralmente a um fino mas resistente cabo de aço. Este material é destinado a ser introduzido nas fendas como alternativa à colocação do piton. Existem em jogos de 10 unidades, todos eles com tamanhos diferentes. É considerado um Entalador Passivo. Os modelos podem variar na forma da cabeça do Entalador.
Entalador Activo Entalador que possui um mecanismo móvel, para que possa trabalhar mais eficazmente. Os friends, Camalalots, são Entaladores Activos, ou seja são muito versáteis.
Entalador Passivo Entalador que não possui qualquer mecanismo móvel, para que possa trabalhar mais eficazmente. Os Stoppers e Bicoins, por exemplo, são Entaladores Passivos.
Entalamento Introdução de uma ou várias partes do corpo (dedos, punho, mão braço, perna, pé...) em fendas, de forma a permitir através de rotação e/ou atrito destas partes com a rocha, criar um ponto de contacto "presa" para que o escalador possa progredir.
Entorse Lesão que deriva da realização de movimentos que ocorrem para além dos limites fisiológicos de uma articulação. Pode ser acompanhado por luxação ou fractura. As entorses que mais ocorrem em actividades humanas são os do pé. Uma bota de cano alto e bem ajustada permite criar uma maior protecção/estabilidade a esta articulação.
EPA Edema pulmonar de altitude, retenção de líquidos nos tecidos pulmonares. Situação grave do MAM (definição em fase de acabamento).
EPI Equipamento de Protecção Individual. A Directiva EPI 89/686/EEC estabelece três categorias de equipamento dentro das actividades como o alpinismo e escalada, dependendo do nível de importância que cada um destes materiais e equipamentos possui, para garantir a segurança do praticante durante a actividade. Esta normativa estabelece igualmente que qualquer destes equipamentos tem que ser portador da sigla CE (Conforme Exigências) e de instruções de uso e cuidados na sua utilização e manutenção, junto à peça em questão. Esta informação deverá estar obrigatoriamente no idioma do País em que é comercializado.
Epicondilite Inflamação na origem dos tendões extensores dos dedos da mão e punho. Região externa do cotovelo denominada epicóndilo. Conhecida como "Cotovelo de Tenista". Na epicondilite esta zona é sensível a dor quando pressionada.
Epitroclite Inflamação na origem dos flexores dos dedos da mão e punho. Região interna do cotovelo, denominada de epitróclea. Conhecida também como "Cotovelo de Golfista". Na epitróclite esta zona é sensível a dor quando pressionada.
Epoxi Diminutivo de Epoxiacrílico, um "cimento" destinado à concepção de material para EAE e fixação de protecções.
Equador terrestre Círculo máximo perpendicular ao centro da terra. É o círculo de referência máximo na medição da latitude.
Equidistância Diferença de altura entre duas curvas de nível consecutivas.
Equilíbrio ambiental Situação ambiental em que os vários ecossistemas mantêm a sua capacidade de auto-regulação, ou seja, estado de harmonia em que se encontram os seres vivos no meio em que habitam.
Equinócio Momento em que o sol se encontra sobre o Equador, o que ocorre no dia 21 de Março (equinócio de Março), e no dia 21 ou 22 de Setembro (equinócio de Setembro). Os dias e as noites possuem uma duração igual.
Equipador Indivíduo que tem por função instalar protecções fixas numa via de escalada, apta para ser escalada à frente ou apenas em top rope.
ERA (European Ramblers Association). Organismo Europeu que tutela as actividades de marcha. A FPC é um membro da ERA.
Erosão Desgaste das massas rochosas, seguido do transporte e acumulação noutros lugares dos materiais provenientes do desgaste. Esta alteração das rochas é resultante da acção dos agentes erosivos, ou agentes da geodinâmica externa como seja o vento (erosão eólica), o mar, os rios (erosão fluvial), os glaciares, etc...
Escala Razão entre uma distância num mapa e a correspondente distância na realidade. Uma escala (grande) de 1/25 000 significa que um centímetro no mapa corresponde a 25.000cm sobre o terreno, ou seja 250m. As escalas mais utilizadas para actividades na natureza, são de 1/25. 000 e 1/50.000.
Escalada (Climbing) Actividade física de ascensão a uma superfície natural (rocha, gelo) ou artificial (EAE, edifício, outros). Na escalada é possível utilizar ou não, materiais que facilitem a deslocação do escalador, bem como equipamento de segurança.
Escalada Artificial (Aid Climbing) Escalada que utiliza meios artificias para que o escalador se possa elevar, realizar um movimento ou suportar o seu peso. O Estribo é um dos equipamentos que mais caracteriza este estilo de progressão.
Escalada Clássica (Trad Climbing) Escalada de vias, geralmente com mais de um largo, sobre um relevo rochoso pouco frequentado e sem equipamento permanente ao longo de toda a sua extensão (pernos, "tiges", spits). Os pitons, entaladores, pontes de rocha e promontórios são utilizados como pontos intermédios e finais de segurança, estes últimos pontos denominam-se de reuniões. Normalmente estas vias possuem um baixo grau de dificuldade, IV, V, sendo estas as vias percursoras da escalada em rocha como disciplina própria.
Escalada de Big Wall (Big Wall Climbing) Escalada de grandes vias existentes em colossais monólitos de rocha. Considera-se uma via de bigwall toda aquela que possua 500 ou mais metros de altura.
Escalada de Boulder Escalada de pequenos blocos de rocha. Devido à grande proximidade com solo 3, 4, metros, não é necessário utilizar corda nem material de segurança que evite a queda no solo. A escalada de bloco é uma disciplina própria, existindo já um campeonato do mundo da modalidade, sendo actualmente uma das disciplinas da escalada mais em voga.
Escalada Desportiva (Sport Climbing) Escalada livre, sobre rocha ou EAE em que se utilizam protecções fixas intermédias de alta resistência para deter uma possível queda do escalador. Na escalada desportiva é possível alcançar a máxima dificuldade na escalada livre, com o máximo segurança.
Escalada em Gelo (Ice Climbing) Actividade de progressão em montanhas com paredes de rocha, neve ou gelo, empregando técnicas e materiais característicos do alpinismo e da escalada em gelo; (excerto traduzido do decreto 146/2000 da comunidade de Aragão, Espanha).
Escalada em Rocha (Rock Climbing) Actividade de progressão em paredes naturais e artificias, empregando técnicas e materiais característicos da escalada em rocha; (excerto traduzido do decreto 146/2000 da comunidade de Aragão, Espanha).
Escalada em Solitário Escalada com segurança autónoma, sem a utilização de companheiro de segurança. A sua prática exige um elevado nível de conhecimento no domínio de técnicas de corda e matérias complementares e um enorme a vontade na escalada livre e artificial. Possui um elevado compromisso com o risco.
Escalada em Solo Integral Escalada sem qualquer material de segurança. Quando realizada na vertical a grande altura existe o perigo de morte eminente do escalador.
Escalada Indoor (Indoor Climbing) Escalada desportiva e boulder realizada em EAE em ginásios, polidesportivos e rocódromos cobertos.
Escalada Invernal Ascensão a uma montanha realizada apenas durante o período de Inverno, de 21 de Dezembro a 21 de Março.
Escalada Limpa (Clean Climbig) Escalada livre em que apenas se utilizam protecções móveis que não danificam a rocha, entaladores, Friends e afins. As protecções fixas como pernos, spits, "químicos" e também pitons não se incluem neste grupo.
Escalada Livre (free Climbing) Escalada em que apenas se utilizam as extremidades corporais sobre a superfície de escalada para executar o movimento de ascensão, em rocha ou EAE.
Escalada Mista Escalada que decorre sobre troços de gelo alternado com rocha, e vice-versa. É uma prática que exige a aplicação de técnicas, materiais e equipamentos de escalada em gelo/cascatas e a realização de progressão em livre e em artificial com esse mesmo material.
Escarpa Vertente rochosa com um declive superior a 45º.
Escola (de escalada) Zona natural de escalada em rocha. É comummente aceite como o local idóneo, com um equipamento fixo fiável, com as mais variadas dificuldades sendo por natureza o local ideal para iniciação à modalidade.
Espeleologia Prática inicialmente com fins científicos, mas agora cada vez mais praticada segundo um perfil desportivo. Consiste na exploração de cavernas, grutas, existentes no solo. Utiliza alguns materiais e equipamentos, semelhantes aos utilizados em escalada e alpinismo, no entanto possui igualmente material e equipamento específico e concebido para esta actividade.
"Esponja" Termo para designar uma peça de equipamento bastante útil para acampar. Destina-se a impedir o contacto directo do saco cama com o solo, evitando a perda de calor por condução, bem como a tornar a noite mais confortável. Actualmente existem inúmeros modelos, alguns dos quais com processos auto insufláveis. Estes últimos, como é óbvio não são de esponja. A espoja também é igualmente conhecida como, Matela (do francês, colchão).
Esqui Desporto que consiste na descida e também subida, de pendentes de neve com a utilização de Esquis. Existem inúmeras disciplinas de Esqui, mas a mais utilizada por alguns alpinistas, devido a sua complementaridade com a sua actividade é o Esqui de travessia.
Estaca Peça de metal destinada a fixar a tenda ao solo. As estacas mais largas e compridas, são indicadas para solos muito brandos, como areia ou neve.
Estalactite Formação característica (coluna) em inúmeras grutas de calcário, resultante da acumulação de carbonato de cálcio, de uma escorência gotosa de água, que se infiltra no solo. As estalactites formam-se no tecto da gruta, de cima para baixo.Formações muito conhecidas entre espeleólogos.
Estalagmite Formação característica (coluna) em inúmeras grutas de calcário, resultante da acumulação de carbonato de cálcio, de uma escorência gotosa de água, que se infiltra no solo. As estalagmites formam-se no solo da gruta, de baixo para cima. Formações muito conhecidas entre espeleólogos.
ESTE Ponto cardeal que corresponde ao nascer do sol.
Esticadores Pequenas cordas que unidas às estacas, permitem regular a tensão da tenda ou duplo tecto, tornando-a mas aerodinâmica ao vento e garantindo a eficácia no que respeito a impermeabilidade do duplo tecto.
Estilo Alpino (ascensão em) Forma de ascender a uma montanha, em que toda a equipa de alpinistas sobe sem carregadores de altitude, sem campos preestabelecidos, sem oxigénio, sem cordas fixas e sem voltar à base da montanha. O início da subida dá-se desde o campo base e já com todo o equipamento e víveres necessários para toda a ascensão, ou seja em autonomia. Estilo bastante exigente para todos os elementos da equipa. Este princípio pode igualmente ser aplicado à escalada de grandes vias em rocha.
Estilo Americano (ascensão em) Método aplicado na disciplina de Big Wall, desenvolvido nos EUA, particularmente no vale de Yosemite. O primeiro de cordada realiza a ascensão, chegado à reunião instala um sistema de roldanas e bloqueadores e duas cordas semi-estáticas. O sistema de roldanas e bloqueadores e uma corda são utilizados para que este possa iniciar a elevação do petate (saco de material) em quanto o segundo de cordada realiza a subida através da segunda corda fixa (com punhos/ascensores) recuperando o material existente na via deixado pelo seu companheiro. Deste ponto o processo inicia-se da mesma forma.
Estilo Cápsula (ascensão em) Forma de ascender a uma montanha ou a grandes vias de rocha em que se conjuga o estilo alpino e estilo pesado. No final de cada jornada diária de escalada, a equipa ou cordada desce através de cordas fixas até ao local onde instalou as tendas ou hamacas para pernoitar. Estes equipamentos nunca estão na base da montanha ou via, mas sim num local ao longo da própria ascensão ou nas suas imediações; isto implica eticamente "não ser permitido" vir até ao solo durante toda a actividade. Este "acampamento" é volante já que é periodicamente desmontado após a realização de alguns largos, sendo instalado num ponto mais acima. Ao contrário do estilo pesado, não existe qualquer acampamento acima ou abaixo do campo volante.
Estilo Pesado Definido igualmente como expedição, esta é a forma de ascensão que mais meios envolve, considerando que os acampamentos são instalados previamente ao longo da linha de ascensão da montanha, ou de uma grande via de escalada. O acesso a estes acampamentos intermédios e à sua base é feito através de cordas fixas, inclusive em pendentes de montanha. A equipa de alpinistas ou cordada, poderá baixar a estes campos para providenciar material e viveres para que possa continuar a ascensão. Envolve um grande número de elementos, para além da equipa de alpinistas, bem como uma elevada logística.
Estrela Polar Estrela situada na cauda da constelação da Ursa menor. Encontra-se aproximadamente no eixo da terra, 0,8º do verdadeiro Pólo Norte. Dista 470 anos-luz da terra, sendo a sua massa 8 vezes superior à do nosso sol, que ultrapassa 2000 vezes em luminosidade. A sua localização no firmamento é de grande importância para a orientação nocturna como processo expedito para uma orientação geral.
Estribo Pequena escada maleável com 4, 5 degraus de metal ou fita, que unido a um piton ou outro qualquer material colocado na rocha, permite criar pontos de apoio artificiais para o escalador se elevar.
"Ética" Principio informal para "regular" atitudes e comportamentos na escalada, alpinismo. "Apenas é permitido equipar vias desde baixo", "Não é possível introduzir equipamento novo, para além do que é o estritamente necessário para reequipar a via, mantendo o mesmo número de equipamento colocado pelo seu equipador"; "Escalar uma montanha sem oxigénio". Estes são alguns princípios "éticos" utilizados no alpinismo e escalada.
Evaporação, perda de calor por Perda de calor corporal pelo suor. É necessário que exista uma boa ventilação durante os esforços mais intensos para que não ocorra a perda de calor por este efeito. Em períodos de actividade da prática do alpinismo, (particularmente invernal) o sistema de capas é nestas situações de suma importância.
Everest Conhecida em Tibetano como Chomolungma (Deusa mãe) e em Nepalês como Tecto do Mundo, o Everest é a a mais alta montanha do planeta, actualmente com seu cume a 8.850m acima do nível do mar. O nome "ocidental" deve-se ao geógrafo inglês que realizou os seus estudos de medição George Everest. O seu cume foi alcançado pela primeira vez a 29-5-1953 pelo neozelandês Edmund Hillary, e o sherpa Tenzing Norgay. Actualmente segundo as últimas medições assinalam 8850m de altitude e situa-se na cordilheira dos Himalaias, na Ásia. Esta cordilheira continua em crescimento devido à colisão entre as duas placas continentais, neste caso a placa Indiana e a asiática. Escalar o Everest é possivelmente o projecto alpinístico mais relevante.
"Excêntrico" Tipo de entalador de seis faces planas (semelhança com uma porca) mas assimétricas. É um entalador "Híbrido" pois junta características de uma entalador passivo com os princípios das forças geradas por um activo. Actualmente é pouco utilizado pois as suas prestações foram substituídas pelo friend, bem como a sua aplicação requer mais cuidado para que actue eficazmente.
Excursionismo Realizar um percurso pedestre na natureza com recurso ou não, a um mapa e bússola.
Expansivo Outra designação para as protecções fixas que actuam segundo o principio de expansão. O spit e o Perno, são protecções expansivas.
Expedição Viagem de uma equipa de alpinistas, escaladores, montanheiros, ou outras equipas especializadas, a uma determinada zona extra continental, com o objectivo de realizar ascensões, ou outros objectivos relevantes como seja estabelecer novos "feitos" humanos ou estudos científicos. Devido às distâncias que estas se realizam das regiões humanizadas, requerem uma preparação vasta e metódica de toda a logística e calendarização, bem como da necessidade de incluir em muitas delas, médicos, directores técnicos, carregadores, lideres de expedição. Actualmente existem inúmeras empresas que organizam previamente as "expedições" de carácter desportivo, (ascensão a uma montanha).
"Exposto" Situação permanente ou momentânea durante a escalada, em que uma queda pode trazer algumas consequências graves para o escalador, já que este pode embater gravemente em alguma zona saliente de rocha ou gelo.
Extra-prumo Plano de superfície que ultrapassa a verticalidade. Nestes planos a força de braços é fortemente solicitada.

 

Página actualizada em
02-10-2003 17:13:23